MDR Indica – Simplesmente Como Jesus.

 Oi gente, tudo bem com vocês ?

Hoje queria compartilhar e indicar um dos livros mais importantes da minha vida. Eu li umas três vezes,  e todas as vezes que eu li em idades completamente diferente, eu entendi tudo o que precisava. Confesso que ele está na prateleira aguardando o desejo  de ler novamente.

Simplesmente como Jesus, de Max Lucado, eu gosto muito de como o Max  escreve, é um dos meus autores favoritos, ele sempre mescla situações corriqueiras, e a palavra de Deus que mexe e move com o nosso coração. Esse livro foi imprescindível, pra entender algumas situações difíceis na minha vida como cristão,  no amadurecimento e em como agir como o mestre agiria.

Vou compartilhar com  vocês um dos meus textos favoritos desse livro,  espero que gostem …

Digno do toque de Deus.

Por cinco anos ninguém me tocou. Ninguém. Nem uma única pessoa. Nem sequer minha esposa, nem minha filha, nem meus amigos. Ninguém me tocava. Olhavam para mim. Falavam comigo. Sentia o carinho em suas vozes. Via preocupação em seus olhos. Mas nunca senti seu toque. Não havia. Nem uma única vez. Ninguém me tocou.

O que é comum entre vocês, eu cobiçava. Apertos de mãos. Cálidos abraços. Uma toque no ombro para chamar minha atenção. Um beijo nos lábios para roubar um coração. Tais momentos foram tirados do meu mundo. Ninguém me tocou. Ninguém esbarrou em mim. O que eu não teria dado para que alguém esbarrasse em mim, que me apertassem numa multidão, que meus ombros encostassem nos de outros. Mas por cinco anos nada disso aconteceu. Como poderia? Nem ao menos me era permitido andar pelas ruas. Até os rabinos mantinham-se à distância. Não me era permitido freqüentar a sinagoga. Nem sequer me recebiam em minha própria casa.

Eu era um intocável. Era leproso. Ninguém me tocava.  Até hoje.

Um ano, durante a colheita, percebi que minha mão não podia sustentar a foice com a mesma força. Os dedos estavam adormecidos. Primeiro foi um dedo, e depois, outro. Em pouco tempo podia empunhar a foice, mas nem a sentia. Ao terminar a temporada não sentia nada com as mãos. É como se a mão que empunhava o cabo pertencesse a outra pessoa; tinha perdido toda sensibilidade. Não disse nada a minha esposa, mas ela suspeitava de algo. Como poderia não suspeitar? Eu levava minha mão junto ao corpo como ave ferida.

Uma tarde enfiei a mão numa bacia de água para lavar o rosto. A água ficou vermelha. Um dedo sangrava, com hemorragia. Nem sabia que me havia machucado. Como me cortei? Com alguma faca? Será que encostei a mão em algum objeto afiado? Deve ter sido, porém eu nada tinha sentido.

— Está também na sua roupa — disse minha esposa com voz fraca. Ela estava atrás de mim. Antes de olhar para ela, fitei as manchas vermelhas em minhas vestes. Por longo tempo fiquei sobre a bacia, contemplando minha mão. Algo me dizia que minha vida tinha sido alterada para sempre.

— Você quer que eu o acompanhe para ver o sacerdote? — me perguntou.

— Não — disse eu com um suspiro —. Irei sozinho.

Me virei e vi seus olhos úmidos. Junto dela estava nossa filinha de três anos. Abaixando-me, olhei diretamente em seus olhos e acariciei sua face, sem dizer nada. Que poderia dizer? Endireitei-me e olhei para minha esposa de novo. Ela me tocou no ombro, e com minha mão boa toquei a dela. Seria nosso toque final.

Cinco anos se passaram, e desde então mais ninguém tinha me tocado, até agora.

O sacerdote não me tocou. Olhou para minha mão, que agora levo envolvida num pano. Olhou para meu rosto, agora obscurecido pela tristeza. Nunca o culpei pelo que me disse. Simplesmente estava agindo segundo tinha sido instruído. Cobriu sua boca e estendeu sua mão, com a palma para fora. “Você é imundo”, disse. Com este pronunciamento, perdi minha família, meus bens, meu futuro, meus amigos.

Minha esposa veio me encontrar nas portas da cidade, com uma sacola de roupa, pão e moedas. Não disse nada. Alguns amigos tinham-se reunido. O que vi em seus olhos foi precursor do que tenho visto em todo olhar desde então: compaixão cheia de terror. Enquanto eu saía, eles se afastavam. Seu horror por minha enfermidade era maior que sua preocupação pelo meu coração; e assim eles, igual a todos desde então, recuaram.

Ah, quanta repulsa sentiam os que me viam! Cinco anos de lepra me deixaram as mãos retorcidas. Faltam-me várias falanges em vários dedos, assim como pedaços de minhas orelhas e do nariz. Ao ver-me, os pais pegam seus filhos. As mães cobrem seus rostos. As crianças me apontam com o dedo e ficam olhando para mim.

Os trapos não podem esconder as chagas de meu corpo. Tampouco o pano com que envolvo meu rosto pode ocultar a ira de meus olhos. Nem sequer tento escondê-la. Quantas noites não levantei meu punho crispado contra o céu silencioso? “Que fiz para merecer isto?” Porém nunca recebi resposta.

Alguns pensam que pequei. Alguns pensam que meus pais pecaram. Não sei. Tudo quanto sei é que me fartei de tudo: de dormir na colônia, de perceber o fedor. Odiava o maldito sino que tinha que levar pendurado no pescoço para advertir às pessoas de minha presença. Como se precisasse dele. Bastava um olhar e os anúncios começavam: “Imundo! Imundo! Imundo!”

Algumas semanas atrás me atrevi a andar pelo caminho da aldeia. Não tinha nenhuma intenção de entrar nela. O céu sabe que tudo o que eu queria era dar uma olhada nos meus campos. Dar uma olhada em minha casa e ver, por alguma casualidade, o rosto de minha esposa. Não a vi; mas vi algumas crianças brincando num campo. Me escondi atrás de uma árvore e as observei vaguear e sair correndo. Suas faces estavam tão felizes e seu riso era tão contagioso que por um momento, apenas por um momento, não era mais leproso. Era de novo agricultor. Era pai. Era um homem.

Com a infusão da felicidade deles sai de trás da árvore, endireitei minhas costas, respirei profundamente… e então me viram. Antes que pudesse retirar-me, me viram. Gritaram. Fugiram correndo. Uma, porém, ficou. Uma se deteve e olhou para mim. Não sei, não poderia dizer com certeza, mas acho, na verdade acho que era minha filha. Não sei; não poderia garanti-lo; mas penso que ela buscava seu pai.

Esse olhar me fez dar o passo que dei hoje. Certamente foi temerário. Com certeza foi um risco. Mas, o que tinha a perder?

Ele chama a si mesmo de Filho de Deus. Ou ele ouviria meu clamor e me mataria, ou aceitaria minha demanda e me curaria. Foi o que pensei. Me aproximei dEle, desafiando-o. Não foi a fé que me empurrou, mas sim uma ira desesperada. Deus tinha feito uma calamidade no meu corpo, e devia restaurá-lo ou então, acabá-lo.

Mas então o vi, e quando o vi, mudei. Lembre que sou agricultor, e não poeta, assim não consigo achar as palavras para descrever o que vi. Tudo quanto posso dizer é que as manhãs da Judéia algumas vezes são tão frescas e o nascer do sol tão glorioso que olhá-lo é esquecer do calor do dia anterior e das feridas do passado. Quando olhei para seu rosto vi uma manhã da Judéia.

Antes que Ele falasse, soube que se interessava. De alguma forma soube que detestava esta doença tanto, se não mais, que eu. Minha ira se converteu em confiança, e minha cólera em esperança.

Oculto por trás de uma pedra, o vi descer da colina. Multidões o seguiam. Esperei até que estivesse a poucos passos de onde eu estava, e então me apresentei.

— Mestre!

Parou e olhou para mim, assim como dezenas de outros. Uma torrente de temor percorreu a multidão. Os braços voaram para cobrir as caras. As crianças se comprimiram detrás de seus pais. “Imundo!” gritou alguém. De novo, não culpo eles. Eu era uma massa malfeita de morte. Porém quase não os ouvia. Quase não os via. Tinha visto mil vezes seu pânico. Contudo, a compaixão dEle quase nunca a havia contemplado. Todo mundo retrocedeu, exceto Ele. Então avançou para mim. Para mim.

Cinco anos atrás minha esposa tinha se aproximado de mim. Ela foi a última a fazê-lo. Agora Ele o fazia. Não me mexi. Simplesmente lhe disse:

— Senhor, tu podes limpar-me, se quiseres.

Se Ele tivesse me curado com uma palavra, teria ficado mais que encantado. Se me tivesse sarado com uma oração, teria me regozijado. Porém não ficou satisfeito com falar-me. Até então ninguém tinha me tocado. Até hoje.

— Quero — suas palavras foram suaves como seu toque —. Sê limpo.

A energia encheu meu corpo como a água num campo arado. Num instante, num momento, senti o calor onde tinha havido insensibilidade. Senti força onde tinha havido atrofia. Minhas costas se endireitaram, e minha cabeça se levantou. Onde eu tinha estado com o olho no nível de sua cintura, agora estava fitando-o ao nível de seu rosto. Seu rosto sorridente.

Tomou minhas faces com suas mãos, e me aproximou tanto que pude sentir o calor de seu hálito e ver a umidade de seus olhos.

— Não fales com ninguém. Mas vai e mostra-te ao sacerdote, e oferece a oferta que Moisés ordenou para os que são sarados. Isso mostrará às pessoas o que tenho feito.

É isso é o que estou fazendo. Vou mostrar-me ao sacerdote e abraçá-lo. Vou mostrar-me a minha esposa, e abraçá-la. Levantarei minha filha, e a abraçarei. Nunca esquecerei o que se atreveu a tocar-me. Poderia ter-me sarado com uma palavra; mas desejava fazer mais que me sarar. Desejava dar-me honra, validar-me. Imagina: indigno de que me toque o homem, e contudo digno do toque de Deus.

 

Max Lucado – Fragmento do Livro Simplesmente Como Jesus

 

Não é maravilhoso, sinto que existem alguns textos que não precisam de ressalvam e nem serem completados. Mas, como foi bom ser tocado por Deus né,. muitas vezes o homem nega um simples olhar de carinho, um simples toque , uma visita, uma ligação, mas, Deus sempre está pronto a nos abraçar, nos tocar e nos trazer de volta dignidade, validar-nos com filhos Dele.

Que Deus tenha bradado ao seu coração.  Deus o ama do jeito que você é, mas não quer deixá-lo da mesma maneira. Ele quer que você seja Simplesmente como Jesus.

Nos veremos em breve
Com amor ♥
João


Você pode baixar a versão PDF. do livro SIMPLESMENTE COMO JESUS  aqui -> max-lucado-simplesmente-como-jesus

Um garfo e o melhor que está por vir.

Oi pessoal.

Como andam as coisas por ai ? Sabe, nos últimos dias, eu tenho passado por situações, onde minhas escolhas vão ditar o que minha vida vai ser, e como é difícil saber se realmente é a escolha correta, são problemas, situações não resolvidas, parece que um mar imenso de duvidas e dificuldades insiste em não se abrir na minha frente. Mais essa mensagem que eu compartilho hoje fez meu coração se acalmar.

“Há algum tempo, li a história de uma mulher que foi diagnosticada com uma doença terminal e teria pouco tempo de vida. Ela entrou em contato com o pastor e solicitou uma visita. O pastor foi vê-la. Durante o encontro, ela ofereceu informações gerais de sua experiência como cristã, testemunhou de sua fé e amor por Jesus. Afinal, mencionou detalhes de seu funeral: que hinos gostaria que fossem cantados e que textos bíblicos gostaria que fossem lidos.

Quando o pastor se preparava para sair, ela se lembrou de algo importante. “Há um último detalhe de que gostaria que o senhor se lembrasse”, continuou a mulher. “Desejo ser enterrada com um garfo em minha mão direita.” Tal pedido deixou o pastor intrigado. A mulher então passou a explicar: “Durante o tempo em que frequentei refeições sociais, observava que, depois dos pratos principais terem sido servidos, alguém inevitavelmente dizia: ‘Guarde o seu garfo.’ Era o meu momento favorito, porque sabia que algo melhor estava por vir, como bolos especiais, tortas ou sorvetes. Assim, eu desejo que as pessoas que assistirem ao funeral fiquem curiosas e queiram saber o significado do garfo. Então, gostaria que o senhor explicasse isso para elas, e as aconselhasse a guardar o ‘garfo’ para aquilo que nos espera.”

Algo melhor está por vir

No funeral, as pessoas que passavam próximo ao corpo viam o garfo colocado na mão direita da mulher. O pastor ouviu de muitos a mesma pergunta. Finalmente, durante o sermão de despedida, ele falou então da conversa que tivera com aquela irmã alguns dias antes. Contou o que o garfo simbolizava para ela. O pastor disse que desde então não podia esquecer o garfo. Provavelmente aquelas pessoas também não se esqueceriam desse fato. O pastor encerrou sua mensagem, afirmando: “Da próxima vez que você segurar um garfo, lembre-se de que o melhor ainda está para vir.”

Escrita por  Pr. Amim Rodo”

O melhor da vida está por vir. Mais E isso vai acontecer quando Jesus apontar nas nuvens do céu para vir nos buscar (e eu já falei aqui da minha pressa pra esse dia chegar). Diante de qualquer problema que você está enfrentando nunca se esqueça que o melhor está pela frente. Apenas esteja sempre preparado. Um garfo pode ser um bom símbolo do banquete que te aguarda.

Nós, porém, segundo a Sua promessa, esperamos novos Céus e nova Terra, nos quais habita justiça. 2 Pedro 3:13
Espero que essa mensagem tenha falado ao seu coração, e te acalme como fez comigo.

Nos veremos em breve
Com amor ♥
João ☺

Laminina †

Oi pessoal , como vocês estão ?

Tudo bem ?

Já faz um tempo que eu tô querendo escrever sobre a Laminina, então, fiz uma procura pela internet e cá estou eu rsrsrs. Eu tomei conhecimento sobre dela através de uma  grande amiga que eu não vejo faz tempo, mais sempre nos falamos pelo whatsApp, mais, mesmo assim ela  faz um falta danada, Amanda ( beijo Mandi, qualquer dia desses a gente se vê , e marca aquele Mc Espero.)

30180

Bom , basicamente complexa a  laminina é uma proteína que é parte da matriz extracelular,presente na membrana basal, com funções específicas, e dentre elas, destaca-se a adesividade é encontrada  em seres humanos e animais. A matriz extracelular (ECM) encontra-se fora das células e proporciona apoio e fixação para as células no interior dos órgãos (juntamente com muitas outras funções), complexo né, difícil entender ? E se eu disser assim : Laminina é uma família de glicoproteína de fundamental importância no desenvolvimento embrionário, além de terem um papel importante em processos de diferenciação, migração e adesão celular. A laminina é encontrada, em grande parte, nas membranas basais, formando uma rede proteica que organiza a própria formação dessa matriz extracelular especializada. Piorou né, bom pra resumir nosso corpo possui cerca 10 á 60 mil proteínas, e uma dela é a responsável por juntar, unir todas as coisas e ela é a
Laminina é uma molécula de adesão celular.

A Laminina é uma das responsáveis por manter as células unidas e permite que estas células saibam qual é a função a desempenhar no organismo. É tipo uma barra de aço do corpo humano que mantém as membranas juntas. A laminina e outras proteínas da MEC, essencialmente, “colam” as células (tais como os de revestimento do estômago e intestinos). Isso mantém as células no local e que lhes permite funcionar corretamente. A estrutura da laminina é muito importante para a sua função (tal como acontece com todas as proteínas).

dsfd

Mas isso seria somente uma curiosidade cientifica se não fosse pelo seu formato. A laminina é uma proteína em formato de CRUZ, presente na matriz extracelular de praticamente todas as nossas células.
É uma proteína que ajuda a prevenir e tratar lesões graves causadas por acidentes. A laminina é encontrada em tecidos do corpo humano, nos músculos e na placenta. É fácil de ser coletada e conservada em um freezer comum. Assim com ELE é, simples , mais ainda assim possui a complexidade de um Deus que não desistiu de nós, Ele  não se preocupa em estar em meio a grandes cabeças, Ele é a Cabeça principal. Ele nos ajuda, nos recupera, ele nos poe de pé, ele cura nossas lesões espirituais, ele consegue curar onde as nossas mãos não consegue chegar.
Uma professora da UFRJ desenvolve em laboratório uma promissora pesquisa sobre a utilização da proteína Laminina no tratamento de lesões raquimedulares.

O mais interessante nisso tudo é que a ciência que devo ressaltar sempre negou a existência de um Deus criador, hoje nos ajuda a provar os mistérios do Deus que eles tanto duvidaram. A função da laminina é a de colar de manter junto, assim como Jesus, ele veio pra  nos grudar com o Pai, nos fazer colar de novo no Pai. Deus se revela a nós de tantas formas, a laminina só prova a onisciência de Deus.

Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
João 1:3

Em todas as coisas vemos Deus dizendo: Eu amo você! Eu estou aqui! Eu te ajudo ! Eu te saro.

Não adianta correr , em toda a nossa história, e eu te deixo livre pra usar o mecanismo de pesquisa que quiser , pra ver  e constatar como a cruz vem marcando a história da humanidade. Crendo ou não  a cruz é real. O nosso Deus é real.

A Laminina só veio constatar o que esta escrito em, Colossenses 1:17 ao 20

Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.
E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.
E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência.
Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse,
E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus.

Sempre soube que a cruz carrega com sigo, muito mais do que nos possamos imaginar. Que possamos a cada dia mais lembrar da morte de cruz, e não te ela como um Deus, mais ter ela com a forma que ELE escolheu pra nos unis, na terra e no céu com o pai.

Você ora comigo ?
Senhor, nos permita entender o quão seja possível a respeito da cruz e seus mistérios. Não quero conhecimento, quero revelação. Não quero encher minha cabeça, quero alimentar meu espírito, pra que possamos amor a cada dia mais, e lembrar do seu santo sacrifício por nos. Obrigado por sua morte, Obrigado por sua cruz.
Oramos em Seu nome.
Amém.

No youtube tem uma ministração tremenda do Pastor Louie Giglio, assista clicando aqui, vale muito a pena

Espero que Deus tenha falado ao seu coração, afinal você tem a marca do grande amor dele por todos os lados.
Nos veremos em breve.

Com amor ♥
João ☺

MDR Indica – Blog Prepare o Caminho

Moda do Reino traz pra vocês agora uma indicação de blog do nosso amigo do peito, o querido  Murilo  Moraes , do Prepare o Caminho 

O Muu , como a gente chama ele , esta agora se aventurando , e diga-se de passagem mandando muito bem , no mundo dos Blogs, mais um pra nos ajudar a levar o amor de Deus através da Internet. Ele canta , toca, ministra e ainda por cima é usado na palavra de Deus, e vocês podem ver tudo isso no blog dele.

Quer saber o que fez ele criar o blog ?

Eu sempre tenho umas idéias ai escrevo e as guardo. O blog era uma vontade e uma ideia antiga.
Mas nunca tinha cabeça pra isso, eu sempre estou lendo algum livro, e sempre quero passar aquilo q aprendo para as pessoas, mas,  é difícil porque as minhas ministrações sempre são curtas, fiz o blog para falar sobre um livro de louvor e adoração que eu estou lendo, e aí quando eu fui ver acabou virando além do que eu pensei que ia ser… e então comecei a divulgar mais e trabalhar nele, ele está tão lindo q até minha pagina no face eu deixei de lado e confesso que estou apaixonado por ele. Se vai rolar grana ou não nem ligo, mas se eu conseguir passar alguma coisa pra alguém, ou se alguém aprender alguma coisa com ele nossa ficarei muto feliz. E se eu alcançar uma alma com ele então nooooooosssssssaaaaaaaaaaaaaaaaaa. Tudo que faço acaba sendo uma estratégia pra alcançar alguma vida ou ajudar alguém. E mesmo eu amando o blog, ele é só mais uma isca pra isso.

Prepare o caminho porque eu vejo que conquistando almas e falando de Deus e do amor dele estamos #PreparandoOCaminho para Jesus vir buscar a sua igreja.. Somos sal da terra e luz do mundo

Ainda não conhece o bloga dele ? Cola lá no Prepare o Caminho  e #SejaCheioDoEspiritoSanto

Com amor ♥
João ☺

A escola da Vida e o Professor Deus !

Oi gente, como vocês estão ?

Hoje na verdade, um pensamento me surgiu e eu queria muito compartilhar com vocês aqui do blog.  Nos últimos dias, eu não estive muito bem por que eu tenho um grande problema, eu faça muito e amo muito as pessoas porque sim, e espero que elas façam o mesmo por mim, e o que acontece, querendo ou não eu acabo criando expectativas e me frustro. Sempre assim!!

Mais ai eu decidi querer aprender os códigos e as tais lições sublinhadas que a bíblia tem.  E o que era obvio me saltou como um esclarecimento na mente: porquê vocês acham que a bíblia diz em Salmos  121

Elevo meus olhos para o monte de onde virá o meu socorro?
O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra!

Pelo simples fato de que a gen … não espere um pouco, vai lá fora, ou em algum lugar onde você possa ver o céu, ou o lugar mais alto que tiver, chegando lá, olhe bem pro horizonte em plano reto e observe todos os obstáculos que existem, casas, carros, ou qualquer outra coisa. Depois Olhe pro céu ou pro alto e volte …. Pode ir eu espero!

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Já voltou ?

Que bom, e ai quando você olhou pro céu o que você viu ? Nenhum, empecilho a não sei o céu não é mesmo.

Pois bem, esse deve ser o nosso rema, essa semana eu ouvi de uma pessoa que eu nunca esperei parar pra me dizer algo tão importante, e tão simples, estava eu lá e de repente um irmão da minha igreja estendeu a mão e quando eu apertei a mão dele, ele disse “João, olhe pra Cristo João.” Uaaal, como isso foi importante pra mim, e foi tão simples, é tão fácil dizer isso né, mais a gente só olha pro nosso próprio umbigo. Esse irmão me disse isso com um sorriso no rosto e foi tão confortante, que na hora  Salmos 121 saltou como um pop-up na minha mente.

Quando olhamos pro alto , que a bíblia chama de montes, perdemos completamente a visão do que é terreno. Ou seja, perdemos a visão daquilo que nos atrapalha a enxergar e até mesmo a conseguir chegar no nosso alvo. Acabamos depositando nas pessoas coisas , valores  e ate mesmo apostamos nela coisas que elas não farão, talvez elas nem saibam a quantidade de coisas que colocamos sobre as costas delas. E é ai que mora a frustração.

Se frustar é inevitável, mais o que você vai fazer com essa frustração toda  é opcional.

Sabe meu caro, com tantas decepções , frustrações, tristezas e alegrias eu aprendi uma das coisas que mais me fizeram pensar sobre tudo o que aconteceu e me motivou a dissertar pra você: Na escola a gente aprende as lições e depois passamos pela prova, mais o maior professor de todos primeiro nos da a prova pra depois aprendermos uma lição. E como todo bom professor, na hora da prova ele fica em silêncio.

Espero que Deus tenha falado ao seu coração , como falou ao meu.
Nos veremos em breve,

Com amor ♥
João ☺